Efeito Caindo

Efeito Caindo

sábado, 23 de maio de 2015

É preciso...

Existem caminhos na vida que não são determinados por nós, nada podemos fazer.





Parar...
Pensar...
Refletir...
Recomeçar.


Não nos tornemos reféns de rótulos.
Mudar é necessário.

Se não houver a interação, se não foi claro seu sentir e o seu próprio “ser”, significa que não bastamos. Tenhamos na consciência os mais nobres sentimentos. O amor é eterno naquilo que acreditamos viver. Mas, por vezes, esse objeto do amor morre em vida, em mudanças inexplicáveis e inexauríveis. Tão de repente, tudo o que foi não é. Tudo o que parecia ser não foi e, morre em vida. Tornamo-nos viúvos de um sentimento sublime e... Dói!

O luto é necessário. O chorar, o prantear, o velar o que um dia, de tão supremo, era o próprio ar. O respirar.

Mas, mudar é preciso!

Como todo luto, a dor continuará, mas sem o desespero inicial, que parecia causar-lhe a própria morte. Passamos o luto, o pranto e a dor e quando nos damos por conta estamos sorrindo novamente. Mas, a dor... Ah, essa dor! Crava no coração eternamente e nos resta viver e sorrir!

Mas, mudar é preciso!

Ser feliz é preciso!

Mônica Gomes

domingo, 17 de maio de 2015

Amados Amigos...


Daquelas palavras que sumiram...
Aquelas que passearam enfim
Confesso, ficaram algumas...

Destas importantes palavras
Donde um dia tão prolixas foram
Que de tão desperdiçada
São todas, agora
(Momento presente)
Guardadas para alguns.

Alguns, poucos e queridos
Que permanecem somente por existir
De alma etérea, que não se corrompe
Corações lindos
Que me mantém extremamente feliz.
Divinas pessoas queridas
Corroboram a afirmação:
“Existem pessoas boas neste mundo”
E... Sem falsa modéstia afirmo
Fui contemplada e rodeada por uns entre vários!

Obrigada, amigos queridos!
Exponho aqui meus apaixonados sentimentos
Exacerbados, intrínsecos e incessantes
Estes mesmo...


Que me fazem amada por poucos..
Mas, de valor abrasante!!! 


Eu, Mônica Gomes

terça-feira, 12 de maio de 2015

Ainda sobre memórias

[Dombeya wallichii]

Hoje o oposto da nossa boca santa
Da memória perdida, jogada
Em nada acalanta
A alma  outrora outorgada.

O tempo esvai-se

A vida num impasse. 

Felicidade Transpasse!


[Eu]

sábado, 9 de maio de 2015

Memória Perdida

Nas recordações,
Há o oposto da memória perdida/
Há a busca da derrota malfadada/
Há discórdia de uma noite gélida/
Há de cor o caminho de tua casa.

[Anônimo]

Anjo? Querubim?

Um dia um querubim
Trouxe notícias para mim
Pronto para o infinito fim
Onde cantam os bandolins

Nesta rima pobre enfim
O destino advim
Sem propósito afim
Rodopiando num botequim.

[Mônica Gomes]


segunda-feira, 4 de maio de 2015

Valores Perdidos no tempo... No tempo... No tempo...



Vou perdido te encontrar a qualquer hora/

 e a retórica dessa boca-santa, só deita prantos a quem alcança/

 Amanhã sempre vingará a morte de hoje, é tão claro/ 

Eu, claro, arrisco um sonho que outrora firmo findo o sono/ 

Te vejo, visão com boca, conforme a pena/

 e ao dançar rumo ao açoite, me aceitas frio em teu aceno."


[Anônimo]


Eu, Mônica Gomes 


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Partidos...


Desconsiderar a pessoa
Desconsiderar sentimentos
Comportamentos atoa
Sem argumentos

Agir por impulso
De pura vaidade
Procedimento convulso
Alma em peculiaridade

Chora alma, chora
Chora sem pertencimento
Chora sem discernimento

Dito o veredicto
Dá-se indeferimento
Acaba-se num momento.


Colagem do trigo  Campo com Reaper  1889  Van Gogh e  "Don Quixote "de 1955, Picasso

"Sonhar mais um sonho impossível
Vencer o inimigo cruel
Clamar com a voz da justiça
Manter da balança o fiel"

[Dom Quixote]
Trecho do musical "O Homem de La mancha"

Mônica Gomes




Ressignificação e histórias de vida


Todos temos uma história de vida, nenhuma deveria ser desprezada. Para cada qual sua história, em momento de dor é única, é a pior. Não que sejamos egoístas, mas porque sentimos somente  nossas dores. Existem algumas pessoas mais empáticas que outras e sentem de fato o coração compadecido pela dor alheia, tanto e quanto, que por vezes esquece sua própria dor. Mesmo assim, não consegue sentir a dor de outrem, consegue condoer-se com sinceridade.

Existem momentos em nossas próprias vidas que as circunstâncias exigem ressignificação! Mudanças efetivas! Ver e enxergar se o que era o é!
Por conta deste meu olhar romanceado, que sempre declaro, um olhar que “quer enxergar” sempre o melhor, essas ressignificações são mais árduas, mas não impossíveis.
Portanto, não nos escondamos atrás de uma visão globalizada “de que existem pessoas que vivem pior que eu” para um determinado comodismo de vida. Vamos dar importância ao que é importante enquanto temos a oportunidade. Podemos nos compadecer e, se estiver ao nosso alcance, ajudar outras pessoas, com maiores ou menores problemas que nós, não importa... Mas, nunca esqueçamos esse circulo de pessoas que fazem parte de nossas vidas, estes que chamamos de família, amigos, amados...
Em alguns momentos de minha vida veio-me a necessidade de ressignificá-la, e as mudanças ocorreram. Não podemos ser resistentes e nos perdermos num passado, pois o próprio nome já diz: passou!
Vivamos com metas e objetivos, mesmo que estes tenham que ser mudados vez por outra, afinal...
Somos seres dotados de inteligência para tal, somos seres humanos! Que esta humanidade seja uma marca de amor e fraternidade para os que estão ao nosso redor e são influenciados por nossas vidas!
Desta forma, não percamos, nunca! Ganhemos... A vida! A felicidade! O amor!


Abraços fraternos a todos os amados e queridos amigos que me leram até aqui... Que me tenham “lido” como é minha verdadeira essência!

A Criação de Adão, c.1510 (detalhe) - Michelangelo


Mônica Gomes, eu e vocês, num diálogo amigo!